Revista Rotary Portugal

A nossa história

"Seja qual for o significado do Rotary para nós, para o mundo ele será conhecido pelos resultados que conquistar."

$1000

Valor da primeira doação à Fundação Rotária, feita em 1917

$26.50

Valor da primeira doação à Fundação Rotária, feita em 1917

$26.50

Valor da primeira doação à Fundação Rotária, feita em 1917

O título “PORTUGAL ROTÁRIO” é já bastante antigo. As ideias da criação de um Distrito Rotário em Portugal, assim como do lançamento de uma revista rotária portuguesa, surgiram do pensamento de um Rotário eminente, membro do Rotary Club de Lisboa, José da Cruz Filipe. A esse tempo – anos 30 do Séc. XX – o Rotary Club de Lisboa publicava um Boletim Mensal, excelentemente dirigido por ele, e é na sua edição de Fevereiro de 1935 que surge a notícia de que, na sua reunião de 3 desse mês, a Direcção do Clube, aceitando a proposta de Cruz Filipe, deliberara que se iniciassem os trabalhos necessários à concretização duma revista rotária nacional.

Como esta ideia andava associada à da criação de um Distrito Rotário, começaram, a partir daí, a realizar-se “Reuniões Magnas dos Rotários de Portugal”, uma iniciativa que foi como que a precursora da Conferência Distrital no nosso País.

O Compº. José da Cruz Filipe foi, pois, o obreiro quer da dinâmica da criação do Distrito, quer do aparecimento da Revista, para cuja denominação ele escolheu “PORTUGAL ROTÁRIO”. Nessa época, contudo, todas as publicações periódicas eram sujeitas a censura prévia da Comissão de Censura, que também era a entidade que teria de autorizar ou de rejeitar o seu título. Cruz Filipe logo requereu, em nome do Rotary Club de Lisboa, a aprovação do título aludido, mas a Comissão de Censura demorou longamente a despachar o assunto, o que causou sérios embaraços. É que havia compromissos publicitários que já tinham sido assumidos, e havia que respeitá-los mediante a sua inserção e divulgação, na data prevista, nas páginas da Revista.

A demora foi tanta que, como tinha sido previsto o aparecimento da Revista no decorrer dos trabalhos da “Reunião Magna” de 26 a 28 de Junho de 1936, na Curia, Cruz Filipe fez distribuir no decurso da sua sessão de abertura, a 26, um vistoso “Suplemento ao Boletim Mensal do mês de Maio do Rotary Club de Lisboa, onde se prova a existência dum PORTUGAL ROTÁRIO”, cuja capa foi da autoria do Pintor Prof. Pedro Guedes

1º Fase

É aqui, na referida altura, que surge pela primeira vez o título “PORTUGAL ROTÁRIO” e numa publicação que se considera um mero “suplemento” de Boletim. Esse suplemento foi distribuído sem autorização da Comissão de Censura, que ainda não tinha, sequer, autorizado o título. Aconteceu na 1ª “Reunião Magna dos Rotários de Portugal”. Tal “suplemento” tinha 16 páginas de textos e 27 páginas de anúncios, e era do formato A4. Surgiu tendo como Director, Cruz Filipe, e como Editor e Administrador Moitinho de Almeida. Foi um inegável acto de coragem do Compº. José da Cruz Filipe uma vez que a edição saiu sem a “carga” de Visado pela Comissão de Censura, donde resultar a responsabilização pessoal do Directo.

2º Fase

É só em 1982 que, sendo Governador do então Distrito 196, o Compº. Mário Luís Mendes (1981-82), membro do Rotary Club de Coimbra, que a ideia duma revista rotária nacional volta a despertar. Contudo, Mário Mendes resolveu montar um esquema através do qual, e após sorteio, cada Rotary Clube de Portugal assumiria, mês-após-mês, a tarefa e os encargos da edição de cada número, sendo que o número de páginas e o conteúdo de cada edição ficavam ao livre alvedrio de cada clube responsável.

Este esquema não conferiu a indispensável regularidade à Revista, nem a dotou duma estrutura responsável que lhe mantivesse o ritmo editorial normal

3º Fase

Em 1983-84 acontece a criação de mais um Distrito Rotário em Portugal: passam a existir dois Distritos, o 196, cujo Governador foi o Compº. António Russel, membro do Rotary Club de Lisboa-Norte, e o 197, que teve como primeiro Governador o Compº. Nuno Argel de Melo, ao tempo membro do Rotary Club de S. João da Madeira.

Com o falecimento do primeiro Editor de “PORTUGAL ROTÁRIO”, o Compº. Nuno Argel de Melo, em Dezembro de 1993, veio a ser designado para tal função, pela Direcção da referida Associação, o Compº. Artur Lopes Cardoso, membro do Rotary Club de Vila Nova de Gaia. Mais tarde passou a acumular com o cargo de Director mercê do passamento do primeiro Director, o Compº. Octávio Lixa Filgueiras.

“PORTUGAL ROTÁRIO” é o órgão rotário oficial para todos os países e territórios de língua portuguesa, com excepção do Brasil.  Todas as suas edições são remetidas a cada um dos Rotários dos Rotary Clubes de Portugal, assim como para todos os Rotary Clubes de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau (os de língua portuguesa), Moçambique, S. Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Pertence à Rotary World Magazine Press